Banda punk Cockney Rejects vem ao Brasil mostrar homenagem a Chapecoense

19 de abril de 2017 - 208 visualizações

cokneyrejects1

Grupo dos anos 70 fala dos shows neste mês em Curitiba, SP e Olinda. Vocalista diz ao G1 que pop punk não tem nada a dizer: ‘Green Day é banda de plástico’.

O Cockney Rejects, banda criada em 1978, vem ao Brasil neste mês (veja mais abaixo) e com uma música em português no repertório. Conhecida por sua ligação com o futebol, o grupo inglês precursor do street punk (gênero também chamado de “Oi!”) escreveu uma letra sobre a Chapecoense.

A homenagem é uma adaptação de “Goodbye Upton Park”, lançada no ano passado. A letra original é sobre o fechamento do estádio Upton Park, em Londres, casa do West Ham entre 1904 e 2016.

“Não queríamos que o acidente fosse esquecido”, conta o vocalista Jeff Geggus ao G1. Ele lembra que ficou “em choque profundo” com a queda do avião em novembro, ao ser informado por sua namorada brasileira.

O Cockney Rejects já fez shows no Upton Park e gravou covers de “I’m Forever Blowing Bubbles”, canto da torcida do West Ham. Não precisa falar por qual time eles torcem, né?
“Foi uma perda gigantesta o fechamento do estádio do West Ham após 112 anos, mas a perda sofrida pelos torcedores e pela família da Chapecoense foi muito, muito pior. Fizemos essa versão por solidariedade”, explica o guitarrista Mick Geggus, irmão do vocalista.

Morte ao futebol moderno!
Falar de futebol com os irmãos Geggus é falar também da tristeza que alguns têm com o futebol moderno: arenas tomam o lugar de estádios e tudo parece “mais profissional do que deveria”.

“Infelizmente, no futebol Inglês, as autoridades estão proibindo alguns cantos de futebol que eles consideram repugnantes. Estão tirando da torcida a liberdade de expressão”, opina Jeff.

“É a fase do politicamente correto, do approach do futebol como negócio. Era para ser algo das classes trabalhadoras e estão estragando aquela ótima atmosfera de antes”, completa Mick. O Cockney Rejects tinha uma base de fãs formada por hooligans e skinheads, mas a banda já disse ser “contra qualquer tipo de violência”.

Green Day: ‘Banda de plástico’ ou mantem o punk vivo?

Sobre o punk mais comercial, que começou a fazer barulho nos anos 90 e hoje enche estádios e é atração principal de festivais, os irmãos têm opiniões diferentes. “A cena punk está morrendo e muitos punks estão agora na classe média ou alta. As bandas do punk pop no geral, como Green Day, não lutam por nada. São de plástico”, provoca Jeff.

Mick é um pouco menos azedo. “Há jovens punks que mantêm a chama acesa. O pop punk americano de bandas como Green Day e Blink 182 pode ser visto por outros como algo ‘corporativo’, mas tenho que admitir que gosto bastante deles”, entrega.

‘Chapecoense’, do Cockney Rejects

“Em um terrível novembro , que ao mundo chocou

Perdemos um pedaço, o peito apertou

Muitas almas a perder de Colômbia ao Brasil

Impossível preencher, deixando um vazio

Pensando em seu melhor, hoje o peito dói

Onde você possa estar, nossas mãos através do mar

CHAPECOENSE

Pra onde viajar, tem sempre aqui seu lar

CHAPECOENSE

Juntos vamos caminhar, juntos somos um

Com as mãos a ajudar, em prol do bem comum

Levante suas mãos, orgulho do seu povo

As batidas do seu coração, nos faz seguir de novo

Pensando em seu melhor, hoje o peito dói

Onde você possa estar, nossas mãos através do mar

CHAPECOENSE

Pra onde viajar, tem sempre aqui seu lar

CHAPECOENSE

FORÇA CHAPE, FORÇA CHAPE , sempre em frente

Este som é pra você

CHAPECOENSE , CHAPECOENSE

Onde você possa estar, nossas mãos através do mar

CHAPECOENSE

Pra onde viajar, tem sempre aqui seu lar

CHAPECOENSE

Novo futuro vai chegar, você voltará a brilhar

Nós torcemos, nós torcemos,

CHAPECOENSE”

Cockney Rejects no Brasil

São Paulo

Quando: domingo, 30 de abril de 2017, às 19h

Local: Clash Club – Rua Barra Funda, 969

Ingressos: R$ 80 a R$ 160 (venda pela internet)

Curitiba

Quando: sexta, 28 de abril, às 20h

Onde: Jokers Pub – R. São Francisco, 164 – Centro

Ingressos: R$ 80 a R$ 240 (venda pela internet)

Olinda

Quando: sábado, 29 de abril

Onde: Abril Pro Rock – Classic Hall

Avenida Agamenon Magalhães, s/n, Complexo Salgadinho, Olinda

Ingressos: R$ 35 a R$ 70 (venda pela internet)


Deixe seu comentário

Aceito os termos e condições

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: não serão tolerados comentários ofensivos, que vão contra a lei ou que não tenham o remetente identificado. Dê sua opinião com responsabilidade.