Valdir Espinosa é demitido do Grêmio e desabafa: ‘Não sei se é traíragem ou burrice’

11 de agosto de 2017 - 116 visualizações

16687728

Na tarde desta quinta-feira, o agora ex-membro da diretoria gremista, Valdir Espinosa revelou que foi demitido pelo clube. Membro ativo das primeiras conquista de Mundial e Libertadores pelo time tricolor gaúcho, Espinosa se emocionou ao se despedir do clube e disse ainda não ter avisado Renato Gaúcho, com quem possui boa relação.

Ao encontrar a imprensa, Valdir se mostrou indignado: “Fui mandado embora. Hoje é o dia mais triste da minha vida. Espero que a direção fale a verdade sobre a minha saída”

“Não sou melhor que ninguém, mas tenho uma história no Grêmio mínimo merece respeito e eu disse que não aceitava aquilo. Me davam horários e onde eu tinha que comparecer para assistir os treinamentos sub-12, sub-15 e sub-17, apenas para eu ver os treinamentos e dizer quem era bom e quem era ruim”, revelou o ex-coordenador técnico.

“Aí eu disse ‘Nunca disse: sou campeão de Libertadores, sou campeão do mundo, mas parece que eu vou ter que dizer. Porque um campeão assim não fica sentado em uma arquibancada para ver garoto”, desabafou Espinosa.

Valdir contou que esta situação seguiu acumulando e, antes do treino desta quinta, ele se reuniu com Odorico Roman, Saul Berdichevski e André Zanotta, todos membros da direção de futebol gremista, que decidiram por sua demissão.

“Eles perguntaram se seria de comum acordo e eu disse ‘De maneira alguma. Vocês estão me mandando embora, eu vou dizer a verdade, espero que a verdade de vocês seja igual a minha e, se não for, vamos sentar frente a frente e vamos falar para dizer quem está certo’, continuou.

Na sequência, o antigo dirigente disse não ter falado com Renato Gaúcho ainda e se emocionou ao fazer um pedido à torcida do clube gaúcho.

“Eu sei que vocês vão sentir uma dor, mas não a deixe dominar vocês. Aquilo que vocês estão sendo para todos nós, 40 mil, 50 mil no campo não está saindo. Ou melhor, não é porque botaram para rua o campeão da primeira Libertadores e do Mundial que vocês vão baixar as forças, isso eu disse para os jogadores também”, afirmou Espinosa.

“A minha tristeza hoje será minha alegria amanhã. Se minhas lágrimas hoje são de tristeza, amanhã serão de alegria porque o Grêmio será tri da Libertadores e bi-mundial”, revelou o ex-membro da comissão técnica gremista, já com a voz embargada.

Fonte: ESPN


Deixe seu comentário

Aceito os termos e condições

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: não serão tolerados comentários ofensivos, que vão contra a lei ou que não tenham o remetente identificado. Dê sua opinião com responsabilidade.