Blog da Redação

Maná confirma novo single “Eres mi verdad” em parceria com Shakira

24 de dezembro de 2014

A cantora Shakira parece já ter encerrado a divulgação de seu mais recente álbum ‘Shakira.’ lançado esse ano, e enquanto ela trabalha em seu sucessor, também encontrou tempo para fazer uma nova parceria.

A colombiana dividiu os vocais com a banda Maná em seu novo single “Eres mi verdad”, que estará contido no 14º CD do grupo, esperado para sair no próximo ano. A canção também deverá sair no começo do ano que vem, e nos últimos dias, eles filmaram o clipe para a mesma em Barcelona.

Fonte: Staypop

 


Uma hora de Papos na Rádio Independente!

2 de outubro de 2013

O programete Papos de Mulher da Tropical FM e quadro do Informativo Notícias, agora é programa de 1 hora na Independente!! Confira na matéria da jornalista Rita de Cássia que bateu um “papo de mulher” com Aline Silva e Angélica Machado.

Além de voz na Tropical FM, nosso ‘Papos de Mulher’ tem imagem na TV Informativo e, agora, terá mais espaço na Rádio Independente. O ‘Papos’ será de uma hora, nas manhãs de sábado.

A partir do dia 21 de setembro, temos encontro na AM 950 todos os sábados, às 10 horas. O ‘Papos’ também vai contar com um blog, para que nosso encontro possa acontecer todos os dias. Na produção, a poderosa Angélica Machado.

Teremos homens. É, homens! Com uma hora, o ‘’Papos’’ passa a ter o quadro ‘Na Cozinha’, com o irreverente Daniel Bortolini. Há espaço para beleza, que vem com o quadro ‘De Bem Com o Espelho’. Para tal, ninguém melhor do que a bela Bárbara Bottoni para comandar as atividades. E, quando o assunto é atualidade, o quadro ‘Aplicativo’ entra com a antenada Natalia Ribeiro.

Em uma hora, vamos ter sempre um entrevistado, que inclusive pode ser você!

Depois de dois anos no ar pela FM 103,7, o espaço reservado para as mulheres vem tomando forma e corpo. Falamos de saúde, sexo, machismo, atualidade, moda, futebol, fofoca, política, novelas, economia, filhos, carreira, e homens.

E temos assunto! O papo rola de segunda à sexta-feira, nas manhãs da Tropical FM 103,7. Toda a terça-feira tem ‘Papos de Mulher’ no canal 20 da Net. E, no sábado, 21, espero-lhe na Rádio Independente AM 950 – www.independente.com.br.

Beijos, e até mais!

Enviado por Aline Silva


Tenho passos de formigas

27 de agosto de 2013

Tenho passos de formigas, com vontade de chegar lá.

Quero aos poucos chegar lá. Lá onde? Não sei.

Tem sempre um ”lá” depois do ”lá”.

Estou aprendendo a dança, que me leva para lá.

Estou querendo mais. Mais pudins de leite, mais diplomas, mais camisas bem passadas, mais espaço, mais beijos e abraços.

Quero mais do que peitos e coxas, quero reconhecimento. Muito mais que falsos elogios, quero amor verdadeiro.

Não quero ser lembrada pela minha legging, quero ser lembrada por ter surpreendido.

Quero mais filhos, do que lipo. Quero mais é lutar contra o câncer de mana, do que silicone.

Não quero ser escrava das medidas, quero mesa grande.

Com passos de formiga, sei que tem coisas para ontem e para amanhã.

Com meus passos de formiga, estou quase lá…

Enviado por Aline Silva


A Copa é nossa!

11 de junho de 2013

A Seleção Brasileira esteve em Porto Alegre na semana passada. Fez um amistoso na Arena do Grêmio. O último teste antes da Copa das Confederações, que assim como a Copa do Mundo, será no Brasil. O jogo contra a França não foi o melhor tecnicamente. Mas não era isso que importava. A Seleção precisava se reencontrar com o torcedor. Precisava ter cara de Brasil. E o Rio Grande do Sul soube muito bem acolher a seleção. Cantamos, vibramos, aplaudimos e empurramos a Seleção para uma vitória contra um grande time, algo que ainda não havia acontecido na era Luis Felipe Scolari. Agora tudo é Copa das Confederações! É hora de vestir verde, amarelo, azul e branco. Eu sei que temos muitos problemas, que seria melhor investir esse dinheiro em educação, cultura, saúde e tantas outras coisas importantes. Mas a Copa tá aí! Não vai adiantar a gente reclamar. Vai acontecer. Então vamos juntos, pra frente Brasil, mostrar que a gente pode sim fazer uma bela Copa das Confederações e uma bela Copa do Mundo. Pois será a imagem do nosso país para milhões de pessoas em todo o mundo. E eu tenho certeza que você, assim como eu, quer que as pessoas vejam a nossa beleza e todo nosso potencial! Eu sou mais Brasil, e você?

Enviado por Ismael Stürmer


Homossexuais e os direitos (ou a falta deles)

5 de junho de 2013

Tudo que foge da zona de conforto se torna polêmica. Aborto, ateísmos, homossexualidade… Mesmo que já tenhamos evoluído muito, esses temas ainda são tabus na nossa sociedade hipocritamente obsoleta. Não acho que todas as pessoas tenham que achar agradável e concordar em número e grau com todas as crenças (ou falta delas), com todas as atitudes alheias, com todas as opções e com todos os sentimentos. O que se espera, no mínimo, quando se fala de um conjunto de seres vivos tão diferentes entre si, é que se respeite o direito do outro de ir e vir, de ser feliz, de ser livre, de não ter que se esconder.

Não é porque você tem amigos gays, defende os homossexuais quando ouve piadinhas infames e acredita que eles têm todo o direito, sim, de andar de mãos dadas na rua como qualquer hétero, que você se torna um. Já ouvi coisas do tipo: “uma hora a Camila vai aparecer com uma namorada…”, só porque não admito que tirem sarro de uma coisa que deveria ser tratada com naturalidade. Nesses momentos o preconceito atravessa os ofendidos e atinge a mim, que peço que simplesmente guardem pensamentos incoerentes para si. Se é contra casamento gay, que não se case com alguém do mesmo sexo. Mas não se pode admitir que, por esse motivo, não permita o direito a quem o deseja.

O preconceito é tão enraizado que muitos nem se dão conta. Um exemplo é a referência de “pessoa normal” aos heterossexuais. Você já deve ter dito ou ouvido algo do tipo: “Ele é gay? Achei que fosse homem!” Como assim, meu povo? O cara não vai deixar de ser homem porque tem uma orientação sexual diferente da maioria. O sexo dele é o mesmo e continua sendo um cidadão, digno de respeito. E o pior é que o mesmo cara que diz ter nojo é aquele que compra filmes pornôs ou revistas com garotas se tocando. Aí tudo bem? Não faz sentido.

Um amigo meu um dia me disse que sua maior frustração é ser gay. Ele disse que queria poder escolher e não passar por todo o sofrimento. E ainda tem gente que trata o homossexualismo como escolha. Me diga, caro hétero: você escolheria não poder mandar mensagens de carinho em redes sociais ao namorado para não ser motivo de chacota? Você escolheria não poder andar de mão dadas na rua com quem ama, para não ser olhado com desgosto? Você escolheria não poder trocar carinho em público para não correr o risco de ser linchado? Você escolheria não poder se quer adotar um filho porque a bela constituição não permite?

Outra coisa que já ouvi é que os gays protestam contra o tal do Feliciano e não vão às ruas por causas maiores, como os políticos corruptos. Existe causa maior do que exigir o respeito da sociedade? E aí eu digo mais. Quem critica o movimento é quem não se informa, quem não tira a bunda da cadeira, quem não acompanha nem os vereadores da própria cidade… Quem critica não tem a mesma cara e coragem dos que trata com desprezo. Tome como exemplo. Vá para a rua então protestar contra o que acredita e de fato tentar mudar alguma coisa. Críticas vazias, baseadas em conceitos furados, não agregam em nada.

Me senti muito feliz nessa semana quando li que a partir de hoje o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) permite o casamento civil entre homossexuais no Brasil. É um enorme avanço e uma conquista para quem tanto luta pela igualdade de direitos. Conforme o Terra, a resolução apenas obriga todos os cartórios a celebrarem o casamento civil a pessoas do mesmo sexo da mesma forma como é celebrado a casais heterossexuais. No entanto, “ela não legaliza o casamento gay no País, já que, para isso, o assunto deveria passar por votação como lei no Parlamento. Para o deputado Jean Wyllys, ‘o Congresso Nacional não legisla’. ‘E não vai fazer isso (votar uma emenda constitucional que legalize o casamento homossexual) porque, embora os fundamentalistas religiosos não sejam maioria, os conservadores são quase maioria’, disse ele.”

Tenho argumentos para escrever o dobro dessas linhas, inclusive no âmbito religioso. Mas não quero, com esse texto, mudar a opinião de ninguém. Proponho apenas a reflexão, a empatia, o entendimento… Ninguém é menos que ninguém por causa do que sente. O amor é tão lindo. Seja ele entre um homem e uma mulher. Seja ele entre dois homens ou entre duas mulheres.

Enviado por Camila Diesel


O velho suéter

29 de abril de 2013

A peça que mais gosto no meu guarda-roupa tem quase 40 anos. É um suéter preto com detalhes em laranja e branco. Eu usava em baixo de outros casacos maiores, achava ele velho. Com o passar do tempo percebi que ele poderia ser promovido. E hoje ele dá um ar vintage para o look.

Coisas antigas me atraem. Gosto da história que cada antiguidade carrega. A grande prova é meu fusca de 1968. E o velho suéter de 40 anos. A peça pertencia à minha mãe. Desde muito nova ela se virava e aquela roupa foi mais um dos itens que ela adquiriu com o suor do seu trabalho.

Tenho um apego muito grande pelo suéter. É mais do que um simples blusão. É carinho. Talvez porque toda vez que o tiro de dentro do armário me vem a mente uma foto em que minha mãe o vestia. Ela sentada no colo do meu pai, com as unhas pintadas de branco. É possível ver o amor naquela imagem. Eu consigo sentir a atmosfera daquele lugar frio, aquecido pelo sentimento que havia entre os dois jovens.

Quantos abraços o suéter já presenciou? De quantos momentos bons ele participou? Não interessa se foi um mero coadjuvante. Não interessa se naqueles momentos ele era o que menos importava. Não interessa até mesmo se nele pingaram lágrimas de dor – porque nem só de alegrias vive o homem. O que vale, pra mim, é que ele carrega histórias. Histórias das duas pessoas mais importantes na minha vida!
Enviado por Camila Diesel


Errei!

23 de abril de 2013

Quero errar!

Errar do início ao fim! Sem medo de comer demais, dormir demais, gastar demais.

Quero me permitir errar. É, errar mesmo.

Errar o ponto do bolo, colocar alvejante nas roupas coloridas. Deixar a televisão ligada, não sair do Facebook, e usar pantufas o dia todo.

Quero errar o telefone, errar o dia, errar na escolha o sabão em pó. Quero errar na escolha do jeans, na escolha do sabor da pizza, errar no vinho, e no chá gelado.

Quero errar meu nome, e o teu. Errar o e-mail, a conta, o cardápio, e deixar o outro errar. Quero esquecer o ferro ligado, o pão na torradeira, e o leite…

Errar faz parte, é nosso, do dia e da noite. Entretanto, o problema não seja errar, em mesmo aceitar o erro, e sim deixar o erro de lado, e começar mais uma vez.

E desta vez, com o leite derramado.

Errou?

Enviado por Aline Silva


A Vaca Rebeca e o assobio

25 de março de 2013

Era 7h30 e já era hora de o pedreiro colocar a mão na massa. Nem precisei de despertador naquela manhã. O que me acordou não foi o barulho da betoneira, nem da furadeira, muito menos do picão. Um assobio singelo, aprimorado e com muitos detalhes ultrapassava as paredes. Acordei e por um instante voltei aos meus cinco anos. Aquele som me transportou para uma época tão simples, tão boa e completamente inocente. Lembro que adorava observar a alquimia do cimento. Ouvindo seu assobio, assistia atentamente à mistura do cal, da água e da areia. Como era possível que aquela consistência se tornasse no principal ingrediente para se erguer uma parede? Eu ficava lá. Observando seu trabalho.

A maioria das pessoas não tem noção da influência que exerce sobre a vida de outras. No caso que divido com vocês, o pedreiro, que realizou inúmeras obras à pedidos da minha mãe, não sabe nem de longe que ele fez parte da minha infância. Ele nem imagina que o som do seu assobio me faz bem. Não sabe. E talvez nunca saiba.

Sem citar a influência direta dos familiares, há outras pessoas que fizeram parte da minha vida e que guardo com muito carinho. Entre elas, a primeira professora. Sempre que vejo a tia Liza nas ruas ou em redes sociais me lembro da sua camiseta com dois elefantes. Lembro como se fosse ontem da festinha de São João, na sala de aula. Mas o que mais me marcou foi um presente que ela me deu: meu primeiro livro. “A Vaca Rebeca” está longe de ser um clássico literário, mas guardo na memória cada frase da obra de Sônia Junqueira. Sério. Eu sei declamar o livro do início ao fim. E que lembrança boa…

E por aí vai. Talvez eu leve comigo para o túmulo a importância que eles, e outros mais, têm na minha história. Talvez seja melhor guardar pra mim, ou dividir com meus leitores, esse gostinho da lembrança.

Enviado por Camila Diesel


A minha porta ainda é de madeira

11 de março de 2013

Minha porta é de madeira, gosto de madeira.

Também gosto daquilo que é simples, fácil. Embora, seja difícil fazer a coisa simples. Tão difícil quanto manter uma porta de madeira.

Já tem alguns anos que estou atormentada com a minha porta de madeira. Ouvi de um padre, que nossos relacionamentos são como portas de madeira, independente do relacionamento. E que a cada discussão um prego (haste de metal, com uma das pontas afiada e com outra achatada, que é usado para unir objetos) é fixado nessa porta de madeira, que é o nosso relacionamento.

Mas, o prego pode ser retirado da porta do nosso relacionamento, com o perdão sincero. Porém, o padre também afirmou que as marcas dos supostos pregos jamais sairão de uma porta de madeira.

Desde que ouvi esse conto, não tive mais sossego. Frequente vem ao meu pensamento a polêmica porta, com marcas e pregos. Contudo, escrevo para compartilhar, que estou livre do tormento da porta. Livre!

Descobri que o final do conto pode ser modificado, se pensarmos que cada prego tornará mais forte nossa porta.

Quem sabe de ferro?

E a sua porta é de madeira?

Enviado por Aline Silva


Tropical pertinho do Ouvinte

26 de fevereiro de 2013

Além de uma programação musical, de informação e de entretenimento que agrade seus ouvintes, a Tropical FM tem priorizado ações para estar cada vez mais perto da galera. Por isso estivemos presentes nas 5 noites de festas do CarnaDjango, com transmissão ao vivo da programação e distribuição de adesivos. A parceria da Tropical com as festas de Carnaval tem sido cada vez maior. A “galera DA 103,7″ esteve presente em Mato Leitão, Venâncio Aires, Teutônia, São Rafael e na Lupus em Estrela. Em torno de 20 mil pessoas participaram das festas nestas 5 noites. Nossa cobertura teve o patrocínio de Lojas Certel/Claro e Fruki Guaraná. As fotos deste agito todo podem ser conferidas no site ou na Fan Page da Tropical FM. Este ano, a equipe da Tropical FM também fez cobertura do Carnaval de Nova Bréscia, que reuniu um público superior a 4 mil pessoas.

Outra ação desenvolvida pela Tropical FM é de apoio C.E. Lajeadense no Gauchão 2013. Além da transmissão das partidas, o GI está reacendendo a paixão do torcedor Alvi-Azul com a distribuição de adevisos de carros. Fotos são tiradas com a torcida e a placa “Eu sou Lajeadense”. Estas fotos são publicadas no Site da Tropical, na sessão de álbuns ou na Fan Page da Tropical FM no Facebook.

E o 2013 começou com tudo na Tropical FM. A emissora que toca os gêneros musicais do momento e é a única rádio da região que traz shows nacionais. Só para lembrar, já tivemos Luan Santana, Inimigos da HP, Revelação, Grupo Bom Gosto, Trio Bravana, Raça Negra, Roupa Nova, Nazareth e agora em março o MC Koringa e Naldo. E vem mais por aí ao longo de 2013. A Tropical tá com tudo mesmo!!

Enviado por Fabiano Conte